Notícias

A arte de esquecer

Data da Palestra: 21/04/2006
Palestrante: Iván Izquierdo
Instituição: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - PUC-RS
Palestra nr: 16
Para baixar essa palestra CLIQUE AQUI Download da palestra

Esquecemos a imensa maioria das memórias que formamos.

Algumas se perdem por falta de uso; mas muitas ficam simplesmente menos acessíveis à recordação por ação direta de mecanismos cerebrais, voluntários ou involuntários.

A perda de memória por falta de uso corresponde ao esquecimento real, e obedece a atrofia em maior ou menor grau de componentes específicos das sinapses.

A diminuição, às vezes total; de acesso às memórias é causada por mecanismos ativos que envolvem vias metabólicas específicas, expressão gênica e síntese protéica em uma ou mais regiões cerebrais.

Quando a diminuição total pode-se falar também de uma forma de esquecimento; mas este é ativo. Há basicamente dois tipos de redução da evocabilidade de memórias: a extinção e a repressão. É possível que ambas respondam a processos semelhantes.

O indivíduo as percebe como esquecimentos, mas não sãos. A extinção é muitas vezes terapêutica e se utiliza em psiquiatria para atenuar memórias danosas para o individuo (fobias, estresse pós-traumático).

A repressão pode ser, voluntária ou não: o cérebro tem a capacidade de atenuar memórias que julga imprópria ou prejudicial independentemente de nossa vontade.

Download da apresentação

Compartilhe!
Share On Facebook
Share On Twitter
Share On Google Plus
,
Fale conosco
Instituto de Física de São Carlos - IFSC Universidade de São Paulo - USP
Programa Ciência às 19 horas
Obrigado pela mensagem! Assim que possível entraremos em contato..